Alvenaria convencional e estrutural: qual é mesmo a diferença?

Publicado em 30 de junho de 2016 por

Categorias: Dicas

Tags: , ,

Compartilhar!

No Brasil, há dois sistemas construtivos predominantes: o sistema convencional, com estrutura de concreto armado, e a alvenaria estrutural. Mas, afinal, qual a diferença entre os dois sistemas? Tanto a alvenaria convencional, quanto a estrutural têm prós e contras, e é importante conhecê-los se você trabalha no ramo imobiliário ou mesmo se está planejando adquirir um imóvel.

Começando do básico: a alvenaria convencional, o sistema mais utilizado no Brasil tanto para casas quanto para apartamentos, funciona como uma espécie de “esqueleto” da obra; as paredes apenas fecham os vãos entre os pilares e as vigas da construção. Já na alvenaria estrutural, são os próprios blocos de concreto que servem de estrutura para a construção, ao invés de vigas e pilares.

O tempo de execução das obras feitas por meio da alvenaria convencional costuma ser mais longo, e há uma discussão entre os profissionais da área sobre o desperdício de material desse sistema construtivo, por exemplo. Segundo a arquiteta Francine Schwarz, porém: “o sistema convencional nos permite trabalhar no projeto sem limitantes, como a altura do edifício. Outra coisa que considero muito importante é que as construções de alvenaria tradicional são atemporais, pois podemos realizar reformas: retirar paredes, mudar ou acrescentar tomadas e interruptores etc”.

Obra de alvenaria estrutural – Imperia Residence

Outro ponto positivo para a alvenaria convencional é a valorização da estética, da iluminação e da ventilação de uma obra, pois o fato de que os tijolos apenas preenchem os vãos entre colunas e vigas, não tendo a função de “manter a obra em pé”, é possível fazer janelas maiores e espaços mais arejados e amplos dentro da construção. A questão da forma também deve ser considerada. “O sistema convencional nos dá a liberdade para projetar. Como apaixonada pela profissão, devo dizer que o sistema convencional de concreto armado nos permite criar formas diferenciadas, fazendo de cada projeto algo único”, coloca Francine.

O Residencial Imperia, da Construtora Silva Campos, é um belo exemplo de uma construção feita a partir da alvenaria tradicional, de acordo com a arquiteta. “No projeto do Residencial Imperia, quando ‘soltamos’ o pilar da varanda, além de colaborar com a questão estética, ampliamos seu tamanho e também a visão no terraço gourmet. Graças a esses grandes vãos que só a alvenaria convencional nos permite criar, mais do que uma bela vista, a iluminação de a ventilação naturais foram privilegiadas”.

Imperia Residence

Quando se trata de casas, sobretudo as de apenas uma planta, a alvenaria estrutural pode ser uma boa opção, pois tem um custo mais baixo e um tempo de execução reduzido. Porém, quando maior e, principalmente, mais alta for a construção, mais limitante é a alvenaria estrutural, pois não são permitidas quaisquer reformas ou alterações na obra depois de concluída. Comparando a imagem acima, do Residencial Imperia, com a imagem abaixo, de um edifício construído a partir de alvenaria estrutural, notam-se diferenças muito claras: a ausência de elementos arquitetônicos que criam a identidade da obra, janelas e varandas muito pequenas etc.

Edifício típico de alvenaria estrutural

“A escolha do melhor sistema construtivo considera diversos fatores”, finaliza Francine Schwarz. “Minhas opiniões foram dadas sob a ótica de uma profissional que projeta as obras, e que valoriza uma arquitetura capaz de trazer qualidade de vida para todos”.

E você, o que acha do assunto? Prefere a alvenaria convencional ou a estrutural?

Colaboração:

Francine Schwarz
Arquiteta
www.nsarquitetura.com.br

Compartilhar!

shares